Lançamentos

Obra de Caio Fernando Abreu, o queridinho das redes sociais, é relançada

unnamed (1)

Há algum tempo esgotada e fora de mercado, a obra de Caio Fernando Abreu chega às livrarias até fevereiro de 2015, em novas edições publicadas pela Editora Nova Fronteira. Os dragões não conhecem o paraísoPequenas epifaniasLimite brancoOnde andará Dulce Veiga?Pedras de Calcutá e também as antologias de Caio, com o essencial de sua produção nas décadas de 1970, 1980 e 1990 são os títulos que já podem ser encontrados à venda. E para este ano, estão previstos Morangos mofados e o Teatro completo. “Este é um momento muito precioso para o Caio e sua obra; pode-se dizer que a sua literatura está realmente viva. Já há algum tempo e principalmente este ano houve uma revitalização boa e mais do que justa da história do autor, e tenho certeza de que este projeto de edições novas e bem-cuidadas será muito bem-recebido pelos leitores”, diz Márcia de Abreu Jacintho, irmã do escritor.

Em Os dragões não conhecem o paraíso, Caio Fernando Abreu reúne 13 contos girando todos em torno do mesmo tema – o amor. O livro foi vencedor do prêmio Jabuti em 1988. Já as crônicas escritas por Caio em Pequenas epifanias levam o leitor a enxergar, como num clarão, verdades bem escondidas. Em Limite branco, seu primeiro romance, escrito em 1967 e publicado pela primeira vez em 1970, o autor já antecipava as angústias que dominariam toda sua obra posterior.

Onde andará Dulce Veiga? é a segunda incursão do autor pelo gênero romance. Tendo como coadjuvantes os universos da redação jornalística e da música popular dos anos 1980, esta ficção-verdade desvenda o desejo reprimido e o tesão liberado, a convivência com um mundo opressivo e a maneira de fugir dele. E em Pedras de Calcutá, Caio Fernando Abreu traz contos amadurecidos, mostrando os principais temas que caracterizaram a sua obra: a hesitação, a espera da morte, o preconceito e a paranoia.

unnamed (2)

A primeira antologia da série com três livros, Caio Fernando Abreu: o essencial da década de 1970, reúne, nas palavras de Maria Adelaide Amaral, “contos, poesia, correspondência e até uma precoce peça de teatro no mais autêntico estilo gótico”. Na segunda, Caio Fernando Abreu: o essencial da década de 1980, o leitor se depara com um Caio F. literariamente mais maduro. Seus textos são marcados por uma escrita mais coesa, além da presença dos questionamentos existenciais, da angústia e da paixão, que continuam como traços característicos de sua obra. E, por fim, Caio Fernando Abreu: o essencial da década de 1990 traz uma visão única da obra do escritor de 1990 a 1996. É nessa fase que o escritor atinge a maturidade plena e o domínio dos meios de expressão, enquanto, paradoxalmente, enfrenta o declínio físico progressivo, consequência da aids, doença de que viria a falecer.

Em Morangos mofados, o escritor apresenta contos nos quais são patentes a fineza de estilo e a percepção de Caio para tratar do que há de mais profundo no ser humano. Morangos mofados foi um dos maiores sucessos editoriais da época e até hoje é um dos livros preferidos pelos fãs do autor. E o Teatro completo de Caio apresenta, em ordem cronológica de suas estreias, as oito peças de teatro que o autor escreveu, acompanhadas de fichas técnicas e fotos das montagens.unnamed

A popularidade de Caio Fernando Abreu é tanta que até documentários sobre ele foram produzidos. Em outubro do ano passado, o Para sempre teu, Caio F., do diretor Candé Salles, foi exibido no Festival do Rio. A linha narrativa é conduzida através de depoimentos de amigos, editores e estudiosos que mantiveram relação com o autor. No mesmo mês, o SescTV estreou outro documentário sobre Caio Fernando Abreu:Sobre sete ondas verdes espumantes, dirigido por Bruno Polidoro e Cacá Nazario.

Lançamentos

Casa no Meio do Caminho: a história real que inspirou UP – Altas Aventuras

 “Muitas vezes o amor surge onde menos se espera e mais é necessário. Este livro encantador é um testemunho do poder da amizade, por mais diferentes que os amigos sejam. Não consegui parar de lê-lo.” – Dr. David Dosa, autor de O incrível dom de Oscar

trecho-uma-casa-no-meio

Um enorme shopping estava prestes a ser construído na cidade americana de Seattle, mas no meio do terreno havia a casinha de Edith Wilson Macefield, uma velhinha durona que estava decidida a não arredar pé dali. Quando o responsável pela obra, Barry Martin, foi conversar com ela, todos acreditaram que iria convencê-la a mudar de ideia. Mas estavam redondamente enganados.

Nesta emocionante e singela história real — que serviu de inspiração para uma campanha de divulgação do filme Up: Altas aventuras —, Barry conta como nasceu a inusitada amizade entre ele e Edith, e as lições de vida que aprendeu com ela.

“Este relato encantador nos lembra de que, na correria do dia a dia, podemos de repente virar uma esquina e encontrar um desconhecido que vai nos fazer compreender nosso lugar e nosso propósito no mundo de forma mais profunda.Uma casa no meio do caminho é a prova de que compartilhar nossa humanidade é muito mais importante do que se preocupar com o que é diferente de nós.” – Don J. Snyder, romancista best-seller

Foi na primavera de 2006 que tudo começou. Quando o superintendente de construções aceitou participar do projeto de um novo shopping center na cidade de Seattle, não imaginava que sua vida estaria prestes a tomar rumos surpreendentes.

Logo no primeiro dia de trabalho, Barry foi se apresentar aos moradores das redondezas. Entre eles, havia uma senhora que não tinha aceitado vender sua propriedade, obrigando a construtora a erguer o empreendimento em volta de apenas uma casinha. Seu nome era Edith Wilson Macefield.

O superintendente foi até ela preparado para levar um fora, porque sabia da fama que a velhinha tinha de ser irredutível. Mas a reação dela o surpreendeu, e assim Barry aprenderia por experiência própria que as pessoas nem sempre são o que aparentam ser.

Não demorou muito para que os dois iniciassem uma bonita e genuína amizade, e a vida de Barry fosse ficando cada vez mais ligada à de Edith: ele passou a levá-la ao cabeleireiro e ao médico, fazer suas compras, preparar as refeições. Em suas conversas, ela volta e meia dava pistas de que tinha um passado encantador, suscitando a curiosidade do amigo e fazendo-o repensar a relação com os pais já idosos.

Narrado pelo próprio Barry Martin, Uma casa no meio do caminho comove e faz sorrir ao mesmo tempo. É um livro cativante que mostra que até a mais inusitada das amizades tem um poder transformador.

 

Título: Uma Casa no Meio do Caminho

Autor: Barry Martin/ Philip Lerman

Páginas: 240

Formato: 14 x 21 cm

ISBN 9788543101644

Preço: R$ 24,90

Editora: Sextante

 

Lançamentos

A Casa Assombrada, novo livro do autor de O Menino do Pijama Listrado

“Uma aventura que irá encantar os fãs de Dickens e intrigar qualquer um que tenha coragem de seguir os passos de Eliza.” — The Daily Express

thumb

Eliza Caine tem 21 anos e acaba de perder o pai. Totalmente sozinha e sem dinheiro suficiente para pagar o aluguel na cidade, ela se depara com o anúncio de um tal H. Bennet. Ele busca uma governanta para se dedicar aos cuidados e à educação das crianças de Gaudlin Hall, uma propriedade no condado de Norfolk – sem, no entanto, mencionar quantas são, quantos anos têm ou dar quaisquer outras explicações. Assim, ela larga o emprego de professora numa escola para meninas e ruma para o interior.
Chegando a Gaudlin Hall, Eliza se surpreende ao encontrar apenas Isabella, uma menina que parece inteligente demais para sua idade, e Eustace, seu adorável irmão de oito anos. Os pais das crianças não estão lá. Não se veem criados. Ela logo constata que não há nenhum outro adulto na propriedade, e a identidade de H. Bennet permanece um mistério.
A governanta recém-contratada busca informações com as pessoas do vilarejo, mas todos a evitam. Nesse meio-tempo, fica intrigada com janelas que se fecham sem explicação, cortinas que se movem sozinhas e ventos desproporcionais soprando pela propriedade. E então coisas realmente assustadoras começam a acontecer…

Sobre o Autor

John Boyne nasceu na Irlanda, em 1971, e mora em Dublin. Escreveu diversos romances que já foram traduzidos para mais de quarenta idiomas. Seu livro mais célebre, O menino do pijama listrado (2007), lhe rendeu dois Irish Book Awards, vendeu mais de 5 milhões de exemplares pelo mundo e foi adaptado para o cinema em 2008.

 

Título: A Casa Assombrada

Autor: John Boyne

Páginas: 296

Formato: 14.00 x 21.00 cm

ISBN: 9788535925265

Preço: R$ 39,90

Editora: Companhia das Letras

Lançamentos

O caos do Afeganistão sob o olhar de Fawad

Em sua estreia como autora, a britânica Andrea Busfield relata a vida de um garoto em meio ao caos no Afeganistão. Uma história atual do mundo em que vivemos, e que, muitas das vezes procuramos não entender

unnamed (3)

A história de Fawad – um inteligente menino de 11 anos que vive em meio à corrupção, atentados suicidas e casos de cólera no Afeganistão pós queda do Talibã – é contada por Andrea Busfield em Sob o Céu de Cabul. Por meio do olhar esperançoso e afiado do garoto, a autora britânica narra na nova ficção da Agir as contradições da guerra, as disputas entre religiões e os valores ocidentais e orientais no país.

Em 272 páginas, Andrea – que se apaixonou pelo Afeganistão após cobrir a queda do Talibã para o News of the World – aborda questões como a inocência e pureza das crianças e o otimismo do povo local. Personagem principal da publicação, o menino Fawad consegue descobrir a beleza no meio do caos, a ternura no meio da violência e a força do amor diante das tragédias, mesmo após perder seu pai e irmão e ter a sua irmã sequestrada.

A crítica do livro foi positiva em diversos veículos como BrooklistSchool Library Journal e News of the World.  Segundo a publicaçãoLibrary Journal, “leitores que gostam de explorar outras culturas e acontecimentos atuais por meio da ficção vão encontrar um retrato intrigante do Afeganistão atual”. Sob o Céu de Cabul chega às lojas ainda em dezembro.
Sinopse
Depois da queda do Talibã, o Afeganistão se tornou uma terra sem lei, onde atentados suicidas, corrupção e surtos de cólera dilaceravam as ruas do país. Mas o otimismo natural de um menino de 11 anos atesta o triunfo do espírito humano mesmo diante das maiores calamidades. Fawad sofreu perdas terríveis, seja pelas mãos do Talibã e da guerra, seja por conta de doenças. Mas seu sonho de uma vida melhor parece se concretizar quando sua mãe, Mariya, consegue um emprego como governanta de três ocidentais: um jornalista alcoólatra, uma engenheira e uma inglesa idealista apaixonada pelo Afeganistão.

Sobre o autor
Andrea Busfield é britânica e trabalhou como correspondente internacional no Afeganistão. Foi uma das primeiras jornalistas a cobrir a queda do Talibã, em 2001, como repórter do News of the World. Atualmente, Andrea trabalha como escritora em tempo integral e mora em Bad Ischl, na Áustria.

Título: Sob o céu de Cabul
Autor: Andrea Busfield
ISBN: 978.85.209.3927-7
Páginas: 272
Formato: 15,5 x 23 cm
Preço: R$ 34,90
Editora: Agir