Parte do meu eu

Me conte uma história feliz

Me conte uma história feliz

As redes sociais são espaços de convivência e troca de experiências entre pessoas conectadas no mundo todo.  Elas aproximam os seres humanos,  democratizam o debate,  tornam as pessoas mais iguais,  ainda que de forma virtual.  Acabaram, porém, se transformando em instrumentos de intrigas,  discórdias, difusão de inverdades e responsáveis pelos mais diversos sentimentos negativos.

Pensando no contexto atual em que estamos inseridos, onde estamos cada vez mais próximos,  e também nos distanciando muito, resolvi fazer um desafio aos meus amigos (virtuais, do whatsapp).

Pedi que me contassem uma história feliz,  uma história pessoal sobre felicidade ou momentos felizes, somente isso. A pergunta inusitada,  feita através do aplicativo, gerou as mais variadas reações dos colegas.

E para mim foi uma surpresa as respostas que iam desde um “não tenho nenhuma” e “aí dentro”, passando por uma desdém total ao questionamento,  até as mais belas histórias de superação e amor à vida. Resolvi compartilhar algumas dessas considerações aqui,  claro,  sem identificar os amigos.  Espero que alguém seja tocado com isso.  Não deixem esse post morrer (flopar).

 

Lembrando que a pergunta singela foi:

 

“Me conte uma história feliz. Uma história pessoal e feliz”.

 

Vamos a algumas respostas:

“Vou ver meus filhos hoje à tarde. Ir para o cinema, comer pipoca. Tem coisa melhor não. Ficar debatendo as coisas da vida com eles, rodando por essa Fortaleza véa”.

 

“Faz um ano que trabalho igual a uma louca. Mas daqui a três dias estarei de férias e vou ser feliz por acordar um pouquinho mais tarde, por silenciar todos os grupos de trabalho, por não precisar ler jornais todo dia (embora eu saiba que vou ler), por ficar deitada cheirando meus meninos até eles não aguentarem mais a mãe grudenta e por fazer passeios de mãos dadas com o amor no meio da tarde. Vai ser um mês assim. E eu vou ser feliz demais. Pronto”.

 

“Eu tenho uma boa história de quando eu fugi de casa quando tinha 17 anos… Mas não é uma história feliz, por isso não contei”.

 

“A mais recente é que meu 1° semestre foi um sucesso em todos os sentidos”.

 

“ Vou arranjar um tempinho para conversarmos… Estou cuidando de achar maneiras de contar que sejam capazes de transmitir a você a alegria que senti quando cada situação aconteceu”. (Ainda estou esperando).

 

“No dia que fui ver o (show do) Muse”

 

“Nascimento da minha filha. Momento mais feliz da minha história pessoal”

 

“No meu trabalho toca Queen a tarde toda”

 

“Sem saco pra escrever besteiras quanto mais histórias pessoais”

 

“Depende para q finalidade… (no aguardo ainda)

 

“A happy story? Xi! São tantas! Bem, uma delas e em dados momentos torna-se a principal, não é simplesmente coisa de fã. É algo que transcende: Ouvir Queen”.

 

“Palmeiras 0 x 2 Corinthians. Mais sério que isso não tem. Feliz demais”

 

“Meu chamado para mim é mais importante que a minha própria vida. Não existe nada que dê mais satisfação e alegria do que poder realizar esse projeto. Quem me conhece sabe. Outro acontecimento que citaria, era o nascimento do meu filho”

 

“Terminei de escrever minha dissertação”

 

“Era uma vez um príncipe encantado, que encontrou uma princesa que dormia por 100 anos. Ele a beijou, ela acordou e eles viveram felizes para sempre”. (tirou uma onda)

 

“Vishhhhh… (uma semana depois) Ainda quer essa história? (Aguardo até hoje)

 

“Tô trabalhando no Porto do Pecém, a minha filha tá com 5 meses, a minha esposa está bem e você me mandou uma mensagem”.

 

“Um dia eu estava dentro de um ônibus, vindo do Cumbuco para fortaleza. Eu tinha cerca de 13 anos e estava lá atrás, sentado. Entraram duas mulheres muito bonitas e uma delas sentou do meu lado e disse: “Oi! Tudo bem? Eu respondi: “Sim! Pouco tempo depois ela pegou um objeto estranho dentro da bolsa e me disse: “Vou te mostrar agora a coisa mais importante do mundo, você quer ver?” Eu acenei com a cabeça que sim. Ela pegou o objeto que eu não distingui o que era e abriu. Quando ela abria disse novamente: “nunca esqueça dessa coisa que é a mais importante na sua vida”. Quando ela abriu eu me vi, era um espelho. Eu nunca esqueço disso”.

 

“Estamos com saúde. Pra que melhor? Minhas histórias são sempre as mesmas”.

 

“Mando mais tarde por áudio, pode ser??? Estou ocupada agora rsrsrs. (Ainda no aguardo)

 

“Estamos vivos. Quer história mais feliz que essa?”

 

“Não!”

 

“Não. Por favor!”

 

“Não sei kkkk”

 

“Eu tô feliz já porque tô em em casa ouvindo Queen, sozinha”

 

“Pra que, amigo?”

 

“Isso é difícil”

 

“Quando casei minha casa não tinha móveis, o chão era no cimento e as paredes, quando chovia, molhava tudo. Hoje já estou fazendo uma mega reforma na casa e tenho um bom marido. Estamos conseguido pagar a contas. E isso?”

 

“Eu nasci. Pera… Havia uma mulher… Precisa ser breve” (Essa história ainda não terminou)

 

“kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk”

 

“Corinthians Campeão do Mundo em 2012, naquela manhã de domingo”

 

“Tem que ser agora?”

 

“Difícil lembrar hein. Quando tiver lembrado uma legal aí te conto rs”.

 

“Aí dentro”

 

“Tá mole”

 

“Eu sou alguém feliz pois tenho Cristo em minha vida. Ele é minha única felicidade. Sem Ele eu não sou nada, a Sua presença me basta. nEle é o meu descanso! Vivo para servi-lo e adorá-lo Ele merece minha adoração”

“Bom, não tenho nada pra contar… Só que vai fazer quatro meses que estou em Santa Catarina e estou feliz”.

 

“O doc. e a revista. História não tem nenhuma no momento. Só quando eu acabar esse babado aqui e beber até amanhã plmdds”

 

“???”

 

E você, qual sua história de felicidade? Me conte aí uma história feliz. 

 

Anúncios