Programação · Teatro

Espetáculo teatral Salina – A Última Vértebra, em temporada de 16 a 19/11 em Fortaleza

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 16 a 19 de novembro de 2017, o espetáculo teatral Salina – A Última Vértebra, com sessões de quinta a sábado, às 19h, e no domingo, às 17h. Com direção de Ana Teixeira e Stephane Brodt e texto do autor francês Laurent Gaudé, a montagem propõe um mergulho numa África ancestral, por meio de uma história atemporal e universal sobre exílio, ódio e perdão.

Salina conta a saga da personagem que dá nome ao espetáculo. Casada à força e violada por seu marido, ela dá à luz Mumuyê Djimba, um filho que ela detesta tanto quanto o pai. Acusada de deixar o esposo morrer agonizante num campo de batalha, Salina é banida de sua cidade.

Exilada no deserto, ela alimenta seu desejo de vingança. Da sua ira, nasce Kwane, que trava uma guerra com seu irmão, Djimba, até que uma reviravolta surpreendente acontece no destino de Salina. Inédita no Brasil, a obra é composta por elementos da tragédia grega e da epopeia africana, onde encontramos o épico, as paixões, o combate e a parte sombria do indivíduo.

Anúncios
Lançamentos · Teatro

A Hora da Estrela completa 40 anos e ganha adaptação para o teatro musical

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, entre os dias 02 e 05 e 09 e 12 de novembro de 2017, o espetáculo A Hora da Estrela – O Musical, baseado na obra da inconfundível Clarice Lispector. O livro, que em 2017 completa 40 anos de lançamento, foi publicado um pouco antes de sua morte e é uma espécie de despedida, em que passagens de sua própria vida são transcritas de forma instigante e envolvente, mas com um toque de melancolia e solidão.

As letras foram escritas pelo cineasta Allan Deberton, que também produz o musical, e conta com a parceria de André Araújo na adaptação do texto. O espetáculo, dirigido por André Gress, possui músicas e letras inéditas, além de uma adaptação no tempo e espaço. O trabalho é uma mistura de vários gêneros culturais, entre teatro, música e literatura.

“O grande desafio da adaptação é o desenvolvimento do novo. A visão da historia já tão conhecida pelo livro e releituras para o cinema e TV ganham uma nova narrativa atrelada à música. Nesse espetáculo, vamos brincar muito com o imaginário da plateia, trazendo todos, literalmente, para o mundo de Macabéa. Cenas icônicas são trabalhadas dentro da linguagem do absurdo e com narrativas musicais. Esse projeto é muito importante, pois é mais um passo nosso no desenvolvimento de espetáculos inéditos de teatro musical no país”, explica André Gress.

Os sonhos de Macabéa

 

A Hora da Estrela gira em torno da personagem Macabéa, uma jovem virgem, do interior, órfã de pai e mãe, inocente e muito ignorante, que vai para a cidade grande com apenas dezenove anos, sonhando com uma vida melhor. O texto reflete sobre os sonhos, as manias e os conflitos internos da garota, aproximando-se dos espectadores justamente por possuir muitos elementos típicos da cultura nordestina.

 

Trata-se de uma obra incomum de Clarice Lispector, em que ela aborda uma vertente mais regionalista, retratando as dificuldades enfrentadas pelos migrantes nordestinos em busca de uma vida melhor na região Sudeste. A miséria, o subdesenvolvimento e o impacto da falta de educação, por exemplo, são temas recorrentes na narrativa, mostrando uma Clarice muito engajada os temas sociais.

 

“Essa é uma adaptação inédita do livro. Existe o filme, existem outras peças, mas agora estamos fazendo algo novo, revisado, nada igual visto antes.  Temos nas mãos um livro importante, muito amado no Brasil e no mundo. Neste musical, queremos divertir e emocionar”, explica Allan Deberton.

 

Ficha Técnica:

Direção: André Gress

Letras: Allan Deberton

Adaptação: Allan Deberton e André Araújo

Músicas e Direção Musical: Liliane Secco

Cenário: Rodrigo Frota

Iluminação: Solon Farias Neto

Figurinista: Beatrice Melo

Atores: Tuane Toledo, Germana Guilherme, Vinícius Cafer e Larissa Góes.

Patrocínio: CAIXA Econômica Federal e Governo Federal

 

Programação · Teatro

A música brega será homenageada no Cineteatro São Luiz

Lúcio Ricardo é uma das atrações do evento neste início de fim de semana. FOTO: DIVULGAÇÃO
Lúcio Ricardo é uma das atrações do evento neste início de fim de semana. FOTO: DIVULGAÇÃO

O Cineteatro São Luiz ficará mais romântico nos dias 23 e 24 de julho, quinta e sexta-feira. Trata-se da programação especial “Tributo ao Brega”, uma verdadeira homenagem à música popular romântica, que contará com a exibição do filme “Vou rifar meu coração”, dirigido por Ana Rieper, quinta-feira (23/7), às 18h30, e show com direção musical do guitarrista cearense Mimi Rocha e participação dos cantores Lúcio Ricardo, Carol Oliveira e Di Ferreira, três grandes intérpretes da cena cearense, na sexta-feira, 24/7, às 19h, no Cineteatro.

O repertório do show, que também leva o nome de “Eu vou rifar meu coração” e tem ingressos populares (R$ 10,00 inteira e R$ 5,00), em sintonia com as diretrizes da política cultural do Estado, conta com canções imortalizadas pelos principais nomes da música popular romântica, como Odair José, Agnaldo Timóteo, Evaldo Braga, Nelson Ned, Amado Batista, Wando, entre outros. Também serão interpretados clássicos de Waldick Soriano, que gravou um histórico DVD no São Luiz, com produção de Patrícia Pillar. Os ingressos para o filme (R$ 6,00 inteira e R$ 3,00 meia) e o show já estão à venda na bilheteria do São Luiz e pelo link do Ingresso Rápido: http://www.ingressorapido.com.br/Evento.aspx?ID=42283

No show o público poderá conferir grandes artistas da cena musical cearense, prestando tributo ao brega, com releituras na voz de três dos mais destacados intérpretes da capital: Lúcio Ricardo, Carol Oliveira e Di Ferreira. Tudo sob a direção musical de Mimi Rocha, guitarrista, violonista e arranjador que vem se notabilizando pela produção de espetáculos coletivos e shows temáticos especiais, como as apresentações de aniversário de Fortaleza, no Aterro da Praia de Iracema, e os shows em tributo à música cearense das décadas de 70, 80 e 90, apresentados no Centro Dragão do Mar.

Confira a programação:

Dia 23/07, quinta-feira
18h30 ‣ Sessão Sonora: VOU RIFAR MEU CORAÇÃO (2011) – Direção: Ana Rieper. Brasil. 78 minutos. Classificação Indicativa: 12 anos.
Sinopse: Documentário que trata do imaginário romântico, erótico e afetivo brasileiro a partir da obra dos principais nomes da música popular romântica, também conhecida como brega. Letras de músicas de artistas como Odair José, Agnaldo Timóteo, Waldick Soriano, Evaldo Braga, Nelson Ned, Amado Batista e Wando, entre outros, formam verdadeiras crônicas dos dramas da vida a dois. Em Vou rifar meu coração, os temas destas músicas se relacionam com as histórias da vida amorosa de pessoas comuns, enfrentando o desafio de falar sobre a intimidade de pessoas reais, em situações reais.

Dia 24/07, sexta-feira
19h ‣ Show “Eu vou rifar meu coração – Tributo ao Brega”
Resumo: O show “Eu Vou Rifar meu Coração” é um tributo à música brega, com direção musical do guitarrista cearense Mimi Rocha e participação dos cantores Lúcio Ricardo, Carol Oliveira e Di Ferreira. O repertório do show conta com músicas dos principais nomes da música popular romântica, também conhecida como brega.

Classificação etária: Livre.
Ingressos: R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia
Os ingressos para o show estão sendo vendidos no seguinte link:
http://www.ingressorapido.com.br/Evento.aspx?ID=42283

Lançamentos · Programação · Teatro

Help!, dos Beatles, recebe homenagem no Cineteatro São Luiz

Beatles, em 1965
Beatles, em 1965

Uma grande homenagem, para marcar os 50 anos de um dos discos mais populares e melódicos e do primeiro filme colorido dos Beatles. O Cineteatro São Luiz promove neste domingo, 26/7, a partir das 14h, uma programação especial de atividades celebrando “Help!”, o filme lançado em 1965 juntamente do disco de mesmo nome, trazendo composições de John Lennon, Paul McCartney e George Harrison, ainda no espírito roqueiro, jovem e romântico marcante na primeira metade da carreira do grupo inglês que conquistou o mundo e se tornou um dos maiores ícones do século XX.

A “beatlemania” também chegou com grande impacto à Fortaleza dos anos 60, em que o São Luiz, Inaugurado em 1958, já era uma das grandes referências da cidade. Agora, o Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, presta homenagem e reconta essa história, destacando a continuidade da influência da obra dos Beatles para a cultura pop e para as gerações contemporâneas, que fazem da capital cearense referência nacional da “cena beatle”, com diversas bandas cover, programas de rádio, eventos constantes e outros artistas e espetáculos que trabalham releituras da obra de John, Paul, George e Ringo.

A programação especial, que demonstra a versatilidade do novo Cineteatro São Luiz, acontece no domingo, 26/7, a partir das 14h, com uma exposição de memorabilia com peças cedidas por colecionadores cearenses da obra dos Beatles, que acompanharam a efervescência em torno do quarteto na Fortaleza da década de 60. Às 15h o filme “Help!”, dirigido por Richard Lester, volta a ganhar a tela do São Luiz. Às 16h30 tem um bate-papo com os colecionadores e “fãs de época” Márcia Carneiro, Francisco Parente e Fábio Parente, participantes do programa “Frequência Beatles”, da Rádio Universitária FM, além do apresentador, jornalista Nelson Augusto.

Às 17h a banda Rubber Soul, mais antiga banda cover dos Beatles em atividade em Fortaleza, apresentará um show especial, com a íntegra do repertório do disco “Help!”. Da intensidade roqueira da faixa-título aos contracantos de “You´re going to lose that girl”, da introspecção de “You´ve got to hide your love away” e “It´s only love” ao country de “I´ve just seen a face”, passando pelo romantismo de “I need you” e “You like me too much”, chegando à vibração de “Dizzy miss lizzy” e ao eterno clássico “Yesterday”.

Às 17h30, fechando a maratona, a Orquestra Filarmônica do Ceará apresenta um concerto especialmente dedicado à obra dos Beatles, se juntando à banda Rubber Soul para apresentar, sob a regência do maestro Gladson Carvalho, músicas de todas as fases da carreira do grupo britânico. A orquestra reedita espetáculo que lotou, por três vezes, o anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em concertos intensamente aplaudidos.

O filme Help! foi lançado em 1965. FOTO: DIVULGAÇÃO
O filme Help! foi lançado em 1965. FOTO: DIVULGAÇÃO

Ingressos já estão à venda
Com ingresso único, o público poderá participar de todas as atividades da programação “Help! – 50 anos”, no Cineateatro São Luiz, no domingo, 26/7, a partir das 14h. Os ingressos custam R$ 10,00 (meia a R$ 5,00) e já estão disponíveis na bilheteria do Cineteatro e no site http://www.ingressorapido.com.br. O Cineteatro conta com 1.050 lugares.

Programação · Teatro

Companhia Carroça de Mamulengos se apresenta em Fortaleza

Apresentações acontecerão nesta semana, na Caixa Cultura. FOTO: SAMUEL MACEDO
Apresentações acontecerão nesta semana, na Caixa Cultura. FOTO: SAMUEL MACEDO

Em comemoração aos seus 40 anos de estrada, a Companhia Carroça de Mamulengos fica em cartaz com duas peças na Caixa Cultural Fortaleza entre 16 e 26 de julho. As montagens Felinda e Pano de roda integram a programação especial preparada para o público infantil para as férias de julho.

Com direção de Alessandra Vannucci, Felinda conta a história de uma moça nem feia e nem linda que um dia sonhou em fugir com um circo. Ela fez as malas, mas o circo já havia baixado a lona e partido quando foi procurá-lo. Vendo-se sozinha, desatinou: esqueceu seu nome e de onde vinha, só não esqueceu o circo e, a vida toda, continuou esperando por seu sonho.

O elenco é composto por uma charanga de palhaços, duas duplas de gêmeos, uma bailarina tímida, bonecos reais e seres imaginários que rondam suas memórias. Os personagens são interpretados por Schirley França, Maria Gomide, Francisco Gomide, João Gomide, Pedro Gomide, Matheus Gomide, Isabel Gomide, Luzia Gomide, todos membros da mesma família.

Para Maria Gomide, a montagem é uma metáfora lúdica da trajetória do grupo, que, em 2015, completa 40 anos. “Em cena, estamos todos juntos, três gerações da nossa família, que se esforça em colorir corações não somente nos teatros, mas nas ruas e praças de diversas cidades Brasil afora”, explica.

Pano de roda, por sua vez, é uma homenagem aos palhaços. O Palhaço Pilombeta, interpretado pelo Mestre Zezito, presta um tributo a estes artistas que, com suas gagues, piadas e esquetes, permeiam o imaginário popular. O espetáculo é fruto da memória da companhia, uma verdadeira colcha de retalhos costurada com lembranças, experiências, vivências e aprendizados colhidos ao longo dos anos.

A montagem conta as confusões que a chegada de uma trupe circense provoca numa cidade do interior. Estão todos lá: a dona do circo que enfrenta dificuldades para se instalar na cidade, a dupla de desocupados que tenta um lugar na companhia, a bailarina que hipnotiza a todos com sua beleza, o domador sem bichos para seu número, o prefeito que não gosta de “artistas vagabundos” em sua cidade e a filha da autoridade local que se encanta pela magia do circo.

Sobre a companhia: A Carroça de Mamulengos nasceu em 1975, em Brasília, depois do primeiro contato de Carlos Gomide com uma das mais tradicionais formas de teatro genuinamente brasileiras: o teatro de mamulengos. Em 1978, Carlos conheceu Antônio do Babau, mestre bonequeiro, que o estimulou a viajar ao Nordeste a fim de aprofundar seu aprendizado. O nome Carroça de Mamulengos reflete a importância dessa vivência.

Em 1982, Carlos conheceu a atriz Schirley França, que se tornou sua companheira e passou a integrar o grupo. Com o nascimento dos sete filhos – Maria, Antonio, Francisco, João, Pedro, Mateus, Luzia e Isabel –, houve a necessidade de criar uma concepção cênica que possibilitasse a participação de todos. O grupo se diz único no objetivo de manter a tradição, que remonta à Idade Média, de desenvolver um fazer teatral familiar em que as técnicas teatrais são passadas de geração para geração, uma espécie de saltimbancos modernos.

Oficina: Além das duas montagens, a companhia realizará a oficina Brinquedos e brincadeiras, em 25 de julho, às 14h. O objetivo é ensinar os participantes a construir brinquedos tradicionais artesanais, como o roi-roi, currupio, pião, mané gostoso e joão teimoso, entre outros, utilizando materiais reciclados.

Serviço:

Local: CAIXA Cultural Fortaleza
Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

Teatro Felinda
Data: 16 a 19 de julho de 2015
Horário: de quinta a sábado às 18h e domingo às 17h
Duração: 70 minutos
Pátio Externo | Entrada gratuita

Teatro Pano de Roda
Data: 23 a 26 de julho de 2015
Horário: de quinta a sábado às 18h e domingo às 17h
Duração: 70 minutos
Pátio Externo | Entrada gratuita

Oficina Brinquedos e Brincadeiras
Data: 25 de julho
Horário: 14h
Inscrições: 20 a 23 de julho pelo email carroca.mamulengos@gmail.com
Resultado: 24 de julho por email pessoal do participante e na fanpage da companhia
Informações Gerais:
Bilheteria da CAIXA Cultural Fortaleza
(85) 3453-2770

Música · Programação · Teatro

Aberta inscrições de reconhecimento de mestres e grupos para Tesouros Vivos da Cultura

A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) está com inscrições abertas até o dia 31 de julho, para novas propostas do Edital “Tesouros Vivos da Cultura”. A ação tem por objetivo a inscrição, seleção e titulação de até nove pessoas naturais e duas de grupos no Livro de Registro dos “Tesouros Vivos da Cultura” do Estado do Ceará, bem como reconhecer, proteger e valorizar os conhecimentos, fazeres e expressões das culturas populares e tradicionais do Ceará, por meio da titulação dos “Tesouros Vivos da Cultura”, com vistas à preservação da memória cultural e transmissão de seus saberes e fazeres artísticos e culturais.
As inscrições são gratuitas e abertas a pessoas naturais e a grupos que atendam de forma cumulativa os seguintes requisitos: comprovar a existência e a relevância do saber e/ou do fazer; ter reconhecimento público de sua atividade específica; deter a memória indispensável à transmissão do saber e/ou do fazer; propiciar a efetiva transmissão dos conhecimentos; possuir residência, domicílio e atuação, conforme o caso, no Estado do Ceará, há pelo menos 20 (vinte) anos, completos ou a serem completados no ano da candidatura; A inscrição poderá ser proposta por qualquer pessoa jurídica de direito público ou privado ou qualquer pessoa natural que seja capaz, na forma do Artigo 9o, da Lei no13.842/2006 e do disposto no 1.3 do Edital, desde que expressamente autorizados pelo candidato.
As inscrições podem ser realizadas até o dia 31 de julho de 2015, das 8h às 16h30min.  É importante ressaltar que serão considerados aptos a serem inscritos no Livro de Registro dos “Tesouros Vivos da Cultura” as pessoas naturais, os grupos dotados de conhecimentos e técnicas de atividades culturais, cuja produção, preservação e transmissão, assim considerados pelas pessoas e órgãos indicados no Artigo 9o, da Lei estadual no13.842, de 27.11.2006, representativas de elevado grau de maestria, constituindo importante referencial da Cultura Cearense.
Após diplomados “Tesouros Vivos da Cultura”, passarão a dispor de alguns direitos, como registrar seu nome no Livro dos “Tesouros Vivos da Cultura” , ter seus projetos recepcionados preferencialmente quando submetidos a certames públicos promovidos pela Pasta da Cultura relativos à área de atuação do diplomado; e terão a percepção de auxílio financeiro, a ser pago, mensalmente, pelo Estado do Ceará, em valor não inferior a um salário de referência (mínimo), que será destinado, exclusivamente, para as pessoas naturais de comprovada carência econômica.
Com a diplomação, os inscritos no Livro de Registro dos “Tesouros Vivos da Cultura” comprometer-se-ão a transferir suas técnicas e conhecimentos a alunos ou aprendizes, através de programas educativos, os quais, quando organizados diretamente pela Secretaria da Cultura do Estado, terão despesas custeadas pelo Tesouro Estadual.
Com a abertura do edital, a Secult dá continuidade ao seu projeto de investimentos  também para aqueles que formam uma sólida manifestação da cultura popular por todo o Ceará.
Interessados em participar do Edital devem entrar em contato com a Coordenadoria de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural, da Secult, pelo fone 85-3101-6787 ou pelo e-mail: editais@secult.ce.gov.br.

Programação · Teatro

Nove companhias de sete estados são selecionadas para o Festival de Teatro de Guaramiranga

 

19021_865845336823503_6069542151269776005_nNove companhias de teatro de sete estados do Nordeste foram selecionadas para participarem do XXII Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga, que acontecerá entre os dias 5 e 12 de setembro. O Ceará participará com três espetáculos: Frei Tito, do grupo Formosura de Teatro; Projeto Achados e Perdidos, do Projeto Achados e Perdidos; e Diga que Você Está de Acordo, do Teatro Máquina.

Bahia, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba, Maranhão e Sergipe são os outros estados com espetáculos selecionados para a Mostra Nordeste. Na Mostra Nordeste Universitária foram selecionados grupos do IFCE, URCA e UFC. Tanto a Mostra Nordeste quanto a Universitária também seleciona os grupos suplentes, que são aqueles que podem assumir no caso de desistência dos titulares selecionados.

O Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga é um dos eventos mais importantes sobre as artes cênicas no Estado, e este ano está na sua 22ª edição. Abaixo segue todos os grupos selecionados.

11694795_865846660156704_1302267512122306664_n

11709546_865845546823482_8185384231722658387_n