Literatura

Escola Porto Iracema das Artes terá Laboratório de Escrita Criativa

20130216184744970730a-tile
Ronaldo Correia de Brito e Socorro Acioli devem ministrar os cursos de Escrita Criativa no Porto Iracema das Artes

A Secretaria de Cultura do Ceará está preparando para o próximo ano o início das atividades do Laboratório de Escrita Criativa da Escola Porto Iracema das Artes, no Centro Cultural Dragão do Mar. O anúncio foi feito pelo gestor da pasta, Fabiano dos Santos Piúba,  que  afirmou ainda estar conversando com os escritores Socorro Acioli e o cearense radicado em Pernambuco,  Ronaldo Correia de Brito, que devem ministrar as aulas.

O secretário foi questionado sobre os motivos de o Ceará ainda não ter um curso voltado para a escrita criativa, e destacou a novidade, ressaltando também estar discutindo a ideia com a diretora da Escola Porto Iracema das Artes, Beth Jaguaribe, e com Paulo Linhares, responsável pela administração do Dragão do Mar. “Para o próximo ano a gente inaugura nosso laboratório de escrita criativa”, disse o secretário.

Atualmente, a Escola Porto Iracema das Artes é composta por cinco laboratórios: Audiovisual/Cinema, Artes Visuais, Música, Pesquisa Teatral e Dança.  De acordo com o portal da entidade, os laboratórios são espaços de experimentação, pesquisa e desenvolvimento de projetos culturais nas diversas linguagens.

“Funcionam em regime de imersão, através de processos formativos de excelência, desenvolvidos em torno das propostas previamente selecionadas. Os alunos recebem orientação de consultores/tutores, que conduzem a qualificação dos projetos, através de orientações individuais, oficinas, palestras e master class”.

 

Programação

Governo do Ceará realiza primeira edição do projeto “Arte na Praça”

card1Uma programação diversificada com contação de histórias, teatro, show de palhaços e de mágicos. A primeira edição do “Arte na Praça” acontece neste sábado (1) na Praça Luíza Távora, em Fortaleza, e vai animar as famílias que visitarem o espaço a partir das 16h30. A ação é promovida pelo Governo do Estado em parceria com o Serviço Social do Comércio Ceará (Sesc-CE) e a C. Rolim Engenharia.

O “Arte na Praça” é uma iniciativa articulada pela primeira-dama do Estado, Onélia Maria Leite de Santana, como evento parceiro do Programa para o Desenvolvimento Infantil – Mais Infância Ceará, que transformará praças em ambientes propícios para o desenvolvimento social de crianças de 0 a 14 anos, contribuindo, através de brincadeiras e atividades culturais, com a formação cognitiva e educacional.

“A meta é promover o desenvolvimento infantil e, brincando, as crianças estão se desenvolvendo. Com o Arte na Praça vamos dar oportunidade de lazer e cultura. Queremos estimular as famílias para que levem as crianças para brincar no espaço ao ar livre”, pontuou a primeira-dama.

Segundo o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio-CE), que engloba o Sesc, Luiz Gastão Bittencourt, o evento tem o intuito de dar opção de lazer para os pequenos no espaço público, onde toda a família possa participar. “A expectativa é que essa ação inicial abra portas para vários projetos de uma parceria com o Governo do Estado, não só na praça, mas em várias outras áreas de atuação do Sistema Fecomércio”, destacou.

Já a diretora comercial e de marketing da C. Rolim Engenharia, Ticiana Rolim, ressaltou que a empresa tem a preocupação de proporcionar para a sociedade e para os funcionários ações de bem estar, lazer, atividades esportivas, saúde, meio ambiente e cultura. “O Arte na Praça é mais uma ação que faz parte do projeto Ser do Bem. A ideia é aproveitar a Praça Luíza Távora, que é super rica, com movimento de crianças, e levar a cultura para essas crianças”, citou.

SERVIÇO:

Governo do Estado promove “Arte na Praça” para crianças

Data: sábado, 1º de agosto
Horário: 16h30

Local: Praça Luíza Távora, em Fortaleza

da assessoria

Lançamentos

Filme A Lenda do Gato Preto será lançado no Cine Ceará

unnamed

Com direção de Clébio Viriato Ribeiro, A Lenda do Gato Preto é um filme de longa duração que se destina à exibição no circuito comercial de salas de cinema e salas digitais, no Brasil, em 2015. Sua avant-première mundial acontecerá no Cine São Luiz, 23 de junho de 2015, 21h, durante a realização do 25º Cine Ceará em Fortaleza.

O filme exalta a força da cultura cigana e sua contribuição para formação da identidade cultural brasileira. Uma proposta que respeita as diferenças das minorias étnicas, reconhecendo o legado que os povos ciganos (notadamente os que passaram pelo sertão nordestino em meados do século passado) deixaram às futuras gerações.

A historia se passa no sertão mas não fala de seca, cangaço e miséria. O filme tem ainda como mote inspirador uma lenda urbana propagada em Quixadá, município do sertão central do Ceará, que diz sobre uma menina tomada pelo desejo súbito e irresistível de subir pela parte mais íngreme da Pedra do Cruzeiro, vencendo seus 90 metros de altura sem a ajuda de qualquer equipamento, afirmando ser atraída por um gato preto que a conduzia até o topo da pedra.

Repleto de misticismo, surrealista e romântico, com uma temática lúdica, presente no imaginário de muita gente, a produção espera envolver e captar um público extenso, garantindo a propagação da obra para outras praças. Como resultado, espera-se atingir um público estimado em dois milhões de pessoas na faixa etária de 13 a 80 anos de idade entre cinéfilos, remanescentes de comunidades ciganas, jovens e adultos, homens e mulheres das classes sociais A, B e C no Brasil e Exterior.

Ciganos e lenda urbana
Porque um filme sobre ciganos? Ao contrário dos índios, hoje também uma minoria, os ciganos nem sequer são citados na Constituição Federal. A defesa dos direitos e interesses ciganos, no entanto, é bem mais difícil e complexa.

unnamed (1)

A cultura cigana representa um conjunto de tradições e crenças que desafiam os modelos sociais por defender o direito à diferença. Os ciganos, ao longo da história, são testemunhas do preconceito social e religioso, exatamente por não reconhecerem um Deus próprio, nem sacerdotes, nem pastor. Para os citadinos, cigano muitas vezes é sinônimo de esperto, vagabundo ou ladrão. Esse ranço histórico é cultivado, inclusive, pela literatura em torno de estórias e histórias vividas ou imaginadas.

O filme, com tons de realismo fantástico, tem como fio condutor a passagem dos ciganos pelo sertão e uma lenda urbana de Quixadá que versa sobre uma garota que subia pela parte mais íngreme os 90 metros da Pedra do Cruzeiro sem ajuda de nenhum equipamento. Uma multidão se juntava no sopé da pedra para ver a garota e sua performance. Quando descia, falava para os populares que era um gato que a chamava e a conduzia para o topo da pedra.
A história

Sertão do Nordeste brasileiro, tempos atrás. Um grupo de ciganos acampa nos arredores de Quixadá, seguindo a previsão de que um novo tempo se anuncia. Ali passam semanas mudando a paisagem, interferindo no cotidiano do pequeno lugarejo.

Aos poucos se integram à vida da cidade e usando da habilidade para o comércio fazem da feira seu ponto de negócios. Lutando pelo direito de serem aceitos, um pequeno grupo de ciganos envolve-se numa grande confusão, após um rico comerciante local atropelar um Gato Preto, animal de estimação de uma Cigana. Conflito que finda por expulsar a todos os ciganos da cidade. Anos depois, Mariana, filha mais nova da família Amorim, sente-se tomada por uma força indômita que a faz correr pelas ruas de Quixadá e subir pela parte mais íngreme da Pedra do Cruzeiro.

A Cigana do gato morto retorna a Quixadá, agora dona do famoso Circo Estrela do Oriente. Seu filho e Mariana têm um romance proibido que mudará o rumo da história.

A Lenda do Gato Preto foi inteiramente rodado no Ceará tendo como cenários as paisagens de Quixadá e a beleza arquitetônica dos casarões e sobrados de Maranguape.

Sem categoria

Dragão do Mar terá atrações culturais todos os dias de Carnaval

Cinema, teatro, planetário e festival de violoncelo são algumas das atrações do equipamento. FOTO: DIVULGAÇÃO

A partir deste sábado e seguindo até a quarta-feira de cinzas,  todos os espaços do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza,  funcionam em regime especial, inclusive na segunda-feira, com cinema, cafés, planetário, teatro, feirinha, museus e abertura da exposição “Corpo da Obra”, no MAC-CE, compondo o Carnaval Cultural do Dragão. A programação terá início neste sábado, com a abertura da exposição, que ocupa o andar superior do espaço e evidencia quatro eixos temáticos que compõem o acervo do museu.

São esses eixos: Seres ou Coisas, que traz o caráter mágico, os ambientes pós-apocalípticos, sombrios e misteriosos ativam potencialidades além do real; em Método e Construção, articulam-se relações entre o tempo e o espaço, na arquitetura e geometrização da forma; Escritas e Sujeitos ativam processos subjetivos, fluxos narrativos por onde emerge a palavra e a instância do confidencial; já em Corpo da Obra, o corpo é o elo entre a participação, a ausência e o limite.

Divididas entre esses quatro momentos, estarão expostas obras de José Rufino, Brigida Baltar, Leonilson, Eduardo Eloy, Herbet Rolim, Marcelo Gandhi, Sebastião de Paula, Efrain Almeida, Antonio Bandeira, Leya Mira Brander, entre outros. Os visitantes poderão conferir a exposição em todos os dias do Carnaval, sempre das 14h e às 20h, com acesso até as 19h30.

O Museu da Cultura Cearense segue o mesmo esquema de funcionamento e apresenta a exposição fotográfica da artista alemã Ulrike Ottinger, aberta no último dia 5 de fevereiro.

Outras atrações

Além dos museus, o visitante também poderá curtir a turnê da intérprete carioca Eliana Carneiro (Cia. Os Buriti), com o espetáculo de teatro e dança “Imagens do Sagrado – Blima”, em cartaz de sexta a domingo, às 20h, no Teatro Dragão do Mar. No mesmo espaço, às 17h, o grupo Vemart apresenta o teatro infantil “O Aniversário do Palhaço”, sábado (14) e domingo (15). Também para a criançada tem Brincando e Pintando que, neste domingo de Carnaval, migra para a Arena Dragão do Mar.

Cinema e violoncelos

O Centro Dragão do Mar recebe ainda as oficinas, masterclasses e concerto, no domingo, do Festival Internacional Violoncelos em Folia, às 20h, no Anfiteatro. Os cinemas, cafés e o planetário também estarão com horários especiais de funcionamento durante o feriadão carnavalesco. O Cinema do Dragão-Fundação Joaquim Nabuco, regularmente fechado às segundas-feiras, terá programação nesse dia.

Já o planetário funcionará normalmente no sábado (14) e no domingo (15), abrindo ainda, excepcionalmente, segunda (16), terça (17) e quarta-feira (18), com sessões a partir das 17h.

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura fica na Av. Almirante Tamandaré 310, Centro – Fortaleza/Ceará

da assessoria