Caiu na rede · Lançamentos

Muse lança Drones nesta segunda-feira

10616482_841237539247344_6852061488951347195_n

Matthew Bellamy prometeu e parece que o Muse fez um disco que visava o retorno às origens da banda. Drones, o sétimo álbum da banda tem o peso das músicas do passado, lá do fim dos anos 1990. Desde The Resistance que o grupo procurava um som diferente, estudando outros estilos e influências musicais, como utilização de orquestra e sonoridades eletrônicas, mas para comemorar 20 anos de carreira o trio resolveu retomar aquilo que os fez conhecido em boa parte do globo.

Pelo menos seis músicas do novo disco já foram liberadas para o público pela banda, e elas mostram que o Muse ainda sabe fazer música de peso, e que Matt, diferente do vexame que passou no Lollapalooza 2014 (porque ele estava com problemas de saúde que o impediram cantar como queria), ainda tem voz de sobra e continua sendo um dos principais guitarristas da atualidade.

Mas sobre o que realmente fala Drones? O próprio Bellamy respondeu dizendo que “Drones” são psicopatas metafóricos que permitem comportamento psicopático sem qualquer recurso. O mundo é gerido por Drones utilizando Drones para nos transformar em Drones. O álbum fala sobre a jornada de um humano, do abandono e perda da esperança até a sua doutrinação pelo sistema como um drone humano, até a eventual deserção contra os seus opressores”.

Drones lembra muito o Muse do passado falando sobre coisas futura, indo até mesmo a uma possível terceira guerra mundial. E há, inclusive, interesse por parte dos membros da banda em fazer um musical do disco, uma vez que todas as músicas estão interligadas em uma única história. O álbum chegou a vazar na internet na semana passada,e fãs mais espertos foram logo baixando as músicas, antes que os links fossem retirados.

Em outubro, o grupo toca no Brasil com a turnê de lançamento do novo trabalho, e esses shows já deram o que falar, quando a página Muse BR decidiu lançar uma nota de repúdio ao preço dos ingressos. Páginas de fãs de outros grupos musicais até fora do País se somaram ao Muse BR, o que fez com que a produtora que vai trazer o trio fizesse algumas pequenas alterações.

image001-1

Drones

1. “Dead Inside”
2. “[Drill Sergeant]”
3. “Psycho”
4. “Mercy”
5. “Reapers”
6. “The Handler”
7. “[JFK]”
8. “Defector”
9. “Revolt”
10. “Aftermath”
11. “The Globalist”
12. “Drones”

 

Dead Inside

Psycho

The Handler

Reapers

JFK + Defector

Mercy

Caiu na rede · Programação

Dicas de uma stalker para você se dar bem nos shows que vêm por aí

10455114_678511172198426_6756366351187137381_n
Marília Ramos com Math Bellamy. Para ela um dia inesquecível. FOTO: FACEBOOK

 

Marilia Ramos ficou muito feliz ao saber que o Muse vai voltar ao Brasil em outubro próximo. Não apenas porque vai sorrir e cantar ao som de Math Bellamy e companhia, mas porque terá a oportunidade de poder, mais uma vez, tocar e abraçar. A jovem é aquilo que se pode dizer de uma stalker profissional, e no currículo de autógrafos, selfies e toques já se encontrou com os caras do Keane, Muse, Panic! At The Disco e o mais recente, James Blunt.

Eu conversei com ela para saber quais os truques para ser um bom seguidor e conseguir um momento ao lado do ídolo. Papel e caneta na mão porque as dicas, apesar de simples devem ser seguidas à risca para não ocasionar constrangimentos e até uma antipatia por parte do artista.

Como foi que você fez para chegar em todos esses caras? Tem algum mecanismo especial ou é ficar no pé deles direto?
– James,Keane e Muse consegui na segunda vez que os vi. O Panic! At The Disco é que foi de primeira.

Tom Chaplin (Keane) também não escapou das garras da moça. FOTO: FACEBOOK
Tom Chaplin (Keane) também não escapou das garras da moça. FOTO: FACEBOOK

Mas como é o esquema?
– Bom, a base de tudo é a sorte mesmo. É como uma loteria. (risos) A primeira coisa que fazemos é pesquisar em que hotel eles vão ficar. Em alguns casos descobrimos o voo de chegada e de ida também. Na maior parte é tudo dedução ,sabe? Vemos qual foi o local que ficaram da última vez e tal. Não é nem preciso seguir os caras pra todo lado ou algo assim. Geralmente eu vou com certeza de onde estão.

E acerta sempre?
– Sim, acaba que sempre acertamos. E também a prática, né?

E tem toda uma turma que faz isso?
– Quando vi James pela primeira vez, eu ainda consegui falar com ele no final do show, isso lá em Porto Alegre, mas não rolou foto, embora eu tenha conseguido autógrafo. Mas eu não tinha prática de stalker, por isso nem fui atrás da foto em aeroporto ou hotel. Tem muita gente quer isso.

E quem vai ser a próxima vítima?
– Eu queria que fosse o Ed Sheeran. Mas o show do James me quebrou, então vai ficar pra próxima. Os próximos da lista são Matt,Dom e Chris. Três marmanjos que tocam numa banda chamada Muse.

Teve um chameguinho com James Blunt também. FOTO: FACEBOOK
Teve um chameguinho com James Blunt também. FOTO: FACEBOOK

Isso em outubro?
– Espero que sim

E quais suas dicas para quem quer stalkear também?
– Tem o lance do comportamento nessas abordagens, sabe?

Não pode se descabelar, gritar, dar uma de louca?
– Isso!

E como tem q ser?
– Tipo, no dia antes do Lollapalooza, uma galera foi no (Hotel) Fasano, e estavam fazendo um mega barulho pelo o que eu soube. Até cantaram! O Muse não desceu, nem na janela eles apareceram. Não pode haver gritos ,histeria essas coisas porque quem não gosta disso, principalmente, são os seguranças. Eles ficam p… da vida. Temem pela segurança dos artistas.
Então… Fiquei sabendo por uma amiga que eles iriam embora 22h do dia 6 de abril (de 2014). Daí fui com outra amiga que me levou pro Fasano porque eu não sei andar em São Paulo.
Chegamos lá umas 13h mais ou menos. Nem sinal deles. Já tinham uns fãs, uns dez. Ficamos lá de plantão. Alguns outros fãs chegaram e erámos uns 13 agora. As 15h, o Chris saiu. Pela frente do hotel com um amigo da banda que eu não sei quem é. Enfim, como estávamos todos entretidos conversando, não vimos, mas uma fã da Argentina sim. Então, corremos atrás dele.
Mas nem todos foram porque ficaram na dúvida. Acharam ele muito diferente e tal. Só tinham umas seis pessoas quando corremos. Todos calmos, tranquilos, Chris atendeu de boa, e deixamos que ele fosse pra padaria. Voltamos para a calçada que ficava de frente para o hotel. O Chris voltou lá pelas 16h, de novo pela frente do hotel, e nos atendeu de novo. Ele estava adorando conversar com a gente. Gostou da nossa educação, com certeza, e eu dei graças a Deus pelo bom comportamento da galera.
Umas 17h:30 uma van veio pegar Tom Kirk e Morgan Nicholls. Ainda falei com eles, mas não rolou foto. Eles estavam com pressa. Acho que foram na frente pra fazer o check in dos outros. As 18h duas vans chegaram. Todos na expectativa, muita tensão. Eu estava pálida. A minha amiga que avisou que eles iam embora 22h,foi lá pra me ajudar. Achávamos que eles iriam entrar na van,e nem falar com a gente.
As 19hs,o tour manager saiu, ficou na calçada do hotel,fez uma contagem de quantas pessoas tinham e voltou pra dentro. Dez minutos depois, um cara brasileiro da staff veio com a boa notícia : Façam uma fila organizada, calmamente, sem desespero, porque Dominic e Matthew vão atender um por um. Nunca, nem em meus sonhos mais loucos, eu teria imagino algo assim acontecendo.

O que é Stalker?
Stalker é uma palavra inglesa que significa “perseguidor”. É aplicada a alguém que segue de forma insistente e obsessiva uma outra pessoa que, em muitos casos, é uma celebridade.

Lançamentos

Muse lança primeiro single oficial de novo disco

muse (1)

Na segunda-feira passada, o Muse disponibilizou no Youtube, o lyric vide de Dead Inside, single oficial do novo disco da banda Drones. Com uma pegada meio anos 1980, a música lembra muito Madnesse, que foi música de trabalho do antecessor The 2nd Law. Em dois dias, a canção teve mais de um milhão de visualizações no Youtube.

Muse lança Psycho, música do novo disco, Drones

veja

 

Caiu na rede

Muse toca no Arena Palmeiras no dia 24 de outubro, diz site

Deu no Popload. O Muse vai mesmo tocar no Brasil e já tem data e local: No Arena Palmeiras (Allianz Parque), no dia 24 de outurbo, um sábado. “Isso nos faz crer que, por ser ousadamente em uma arena no Brasil, o show vai mesmo no projeto 360º, nos moldes do que o U2 fez por aqui, concerto visto por todos os ângulos do estádio/arena/parque etc. O Muse, desta vez, vem grandão”, informa o site.

O grupo lança o disco novo “Drones” no começo de junho, e, recentemente, disponibilizou o vídeo da música Psycho, que já teve mais de 5 milhões de visualizações em apenas cindo dias.

Na América do Sul, além de São Paulo e Rio, no desenho da turnê que tivemos acesso o Muse tocará na Colômbia (Bogotá), Argentina (Buenos Aires) e Chile (Santiago). Parece que a tour latina começa na Argentina, dia 17/10. Não há data sobre o show que será realizado no Rio de Janeiro.

do Popload

Caiu na rede · Lançamentos

Muse lança Psycho, música do novo disco, Drones

Sem título

 

atualizado às 12h49

O dia 8 de junho é aguardado pelos fãs enlouquecidos do Muse (inclusive este que aqui escreve), pois é nesta data que o trio inglês vai lançar seu sexto álbum de estúdio, Drones, sucessor do bem sucedido The 2nd Law. Psycho foi lançado no youtube oficial da banda no dia 12 de março, e somente nas primeiras 24 horas já teve quase 2,5 milhões de visualizações.

Além de Psycho, que em princípio não em animou nem um pouco, o disco contará ainda com outras onze canções, como “Dead Inside”, que  será lançada como o primeiro single oficial do disco no dia 23 de março. De 15 a 24 de do mesmo mês, a banda deve realizar seis shows em lugares pequenos, no Reino Unido, que fazem parte da miniturnê denominada ‘Psycho UK Tour”.

O Muse pode se apresentar no Brasil em outubro, segundo o site Popload. A apresentação de São Paulo deve ser em algum estádio ou no Anhembi, e outras três cidades brasileiras podem ser incluidas na passagem da banda por aqui.

Drones

1. “Dead Inside”
2. “[Drill Sergeant]”
3. “Psycho” 5:28
4. “Mercy”
5. “Reapers”
6. “The Handler”
7. “[JFK]”
8. “Defector”
9. “Revolt”
10. “Aftermath”
11. “The Globalist”
12. “Drones”

 

“Psycho”

If you do not do what you’re told to do when you’re told to do it, you will be punished. Do you understand?
(Aye, sir)
If you leave my base without proper authorisation, I will hunt you down and throw your ass in jail. Do you understand?
(Aye, sir)
I can’t hear you!
(Aye, sir!)
Scream it!
(Aye, sir!)
Your ass belongs to me now!
(Aye, sir!)

Love, it will get you nowhere
You’re on your own
Lost in the wild
So come to me now
I could use someone like you
Someone who’ll kill on my command
And asks no questions

I’m gonna make you
I’m gonna break you
I’m gonna make you
A fucking psycho
A fucking psycho
A fucking psycho
Your ass belongs to me now

Are you a human drone?
(Aye, sir!)
Are you a killing machine?
(Aye, sir!)
I’m in control, motherfucker, do you understand?
(Aye, sir!)

Your mind is just a program
And I’m the virus
I’m changing the station
I’ll improve your thresholds
I’ll turn you into a super drone (super drone)
And you will kill on my command
And I won’t be responsible

I’m gonna make you
I’m gonna break you
I’m gonna make you
A fucking psycho
A fucking psycho
A fucking psycho
Your ass belongs to me now

Are you a psycho killer? Say “I’m a psycho killer!”
(I am a psycho killer!)
Scream it!
(I am a psycho killer!)
Show me your war face!
(AHHHH!)
You are a pussy! I said show me your war face!
(AHHHH!)

I’m gonna make you
I’m gonna break you
I’m gonna make you
A fucking psycho
A fucking psycho
A fucking psycho
Your ass belongs to me now

I will break you, do you understand?
I will break you, do you understand?
I will break you, do you understand?
I will break you, do you understand?
(Aye, sir!)

You fucking psycho
Your ass belongs to me now
Your ass belongs to me now