Literatura · Programação

Companhia das Letras é editora com mais publicações na disputa do Prêmio Jabuti

O Prêmio Jabuti divulgou nesta terça-feira, dia 3, os finalistas de sua 59ª edição. Dentre os indicados em diversas categorias, 29 obras foram lançadas pelo Grupo Companhia das Letras, e mais oito títulos lançados originalmente pela editora estão entre os finalistas na categoria Livro Brasileiro Publicado no Exterior.

Na categoria Romance, uma dos principais da premiação, estão entre os finalistas os autores Bernardo Carvalho, Elvira Vigna, Maria Valéria Rezende, Michel Laub, Silviano Santiago, José Luiz Passos e Javier Arancibia Contreras. A cerimônia de entrega do Prêmio Jabuti 2017 será realizada no dia 30 de novembro, onde também serão revelados os vencedores do Livro do Ano em Ficção e Não Ficção.

Conheça os finalistas publicados pelo Grupo Companhia das Letras.

 

Biografia

Diários da presidência 1997-1998, de Fernando Henrique Cardoso (Companhia das Letras)

Roberto Civita: O dono da banca, de Carlos Maranhão (Companhia das Letras)

 

Capa

Os Buddenbrook, de Thomas Mann. Capista: Raul Loureiro (Companhia das Letras)

Ciência da natureza, meio ambiente e matemática

A espiral da morte, de Claudio Angelo (Companhia das Letras)

 

Ciências da saúde

Palavra de médico, de Drauzio Varella (Companhia das Letras)

 

Ciências Humanas

A nervura do real II, de Marilena Chaui (Companhia das Letras)

Trópicos utópicos, de Eduardo Giannetti (Companhia das Letras)

 

Contos e crônicas

Diário das coincidências, de João Anzanello Carrascoza (Alfagura)

O sucesso, de Adriana Lisboa (Alfaguara)

Rio em shamas, de Anderson França (Objetiva)

Trinta e poucos, de Antonio Prata (Companhia das Letras)

Economia, administração, negócios, turismo, hotelaria e lazer

Anatomia de um desastre, de Claudia Safatle, João Borges e Ribamar Oliveira (Portfolio-Penguin)

 

Histórias em Quadrinhos

Quadrinhos dos anos 10, de André Dahmer (Quadrinhos na Cia.)

 

Juvenil

Lua de vinil, de Oscar Pilagallo (Seguinte)

 

Poesia

Rol, de Armando Freitas Filho (Companhia das Letras)

 

Reportagem e documentário

O livro dos bichos, de Roberto Kaz (Companhia das Letras)

Petrobras: Uma história de orgulho e vergonha, de Roberta Paduan (Objetiva)

Turno da noite, de Aguinaldo Silva (Objetiva)

 

Romance

Como se estivéssemos em palimpsesto de putas, de Elvira Vigna (Companhia das Letras)

Machado, de Silviano Santiago (Companhia das Letras)

O marechal de costas, de José Luiz Passos (Alfaguara)

O tribunal da quinta-feira, de Michel Laub (Companhia das Letras)

Outros cantos, de Maria Valéria Rezende (Alfaguara)

Simpatia pelo demônio, de Bernardo Carvalho (Companhia das Letras)

Soy loco por ti, América, de Javier Arancibia Contreras (Companhia das Letras)

 

Teoria / Crítica literária

Mutações da literatura no século XXI, de Leyla Perrone-Moisés (Companhia das Letras)

 

Tradução

O reino, de Emmanuel Carrère, tradução de André Telles (Alfaguara)

Ouça a canção do vento / Pinball, 1973, de Haruki Murakami, tradução de Rita Kohl (Alfaguara)

Romeu e Julieta, de William Shakespeare, tradução de José Francisco Botelho (Penguin-Companhia)

 

>>> O Jabuti também premia livros brasileiros que ganharam edições em outros países. Dentre os indicados, oito títulos foram publicados originalmente pela Companhia das Letras:

Livro Brasileiro Publicado no Exterior

A Cup Of Rage, de Raduan Nassar (Penguin Random House UK)

Ancient Tilage, de Raduan Nassar (Penguin Random House UK)

Brasil: Una Biografia, de Lilia Moritz Schwarcz e Heloisa M. Starling (Penguin Random House Grupo Editorial)

Broda Zalana Krwia, de Daniel Galera (Rebis)

El Vuelo de Madrugada, de Sérgio Sant’Anna (Hueders)

Mijn Duitse Broer, de Chico Buarque (De Bezige Bij)

Vég, de Fernanda Torres (Libri Kiadó)

Xangô Z Baker Street, de Jô Soares (Rebis)

Anúncios
Literatura

Intrínseca tem três livros na disputa pelo Jabuti pela primeira vez

O Jabuti, principal premiação literária do país, divulgou os finalistas das 29 categorias deste ano. Pela primeira vez, a Intrínseca tem três livros na disputa. A obra Enquanto houver champanhe, há esperança: Uma biografia de Zózimo Barrozo do Amaral, do jornalista Joaquim Ferreira dos Santos, concorre na categoria biografia.

Como matar a borboleta-azul: Uma crônica da era Dilma, da economista e professora Monica de Bolle, foi selecionado na categoria economia, administração, negócios, turismo, hotelaria e lazer e Pó de lua nas noites em claro, segundo livro de , concorre entre os melhores de 2017 na categoria ilustração.

A cerimônia que revelará os vencedores do Jabuti 2017 acontecerá em 30 de novembro, no Auditório Ibirapuera, em São Paulo. Confira a lista completa dos indicados no site do Prêmio Jabuti.

Literatura

Se Eu Fechar os Olhos Agora e acompanhar toda obra literária de Edney Silvestre

Curiosamente as últimas leituras que fiz neste ano  praticamente todas contam histórias de meninos vivendo em um mundo de aventuras e descobertas. Foi assim com o clássico Os Meninos da Rua Paulo, O Rei Branco  e O Azarão.  Seguindo, involuntariamente, este ritmo  me deparei com essa eletrizante história contada pelo jornalista e escritor Edney Silvestre, que conta, sob o olhar dos pré-adolescentes Eduardo e Paulo,  um pouco dos momentos mais marcantes da história do Brasil e do mundo.

Ambientado no início da década de 1960, um pouco antes do golpe militar e após a Era Vargas, o romance vencedor do Prêmio Jabuti de 2010, conta as aventuras dos dois garotos em busca de desvendar um crime brutal cometido contra uma bela moça ali pelo interior fluminense. Cheio de reviravoltas e diálogos primorosas, Se Eu Fechar os Olhos Agora é leitura essencial para quem, como eu, gosta de uma história bem montada, que te deixa sem fôlego do início ao fim.

Por causa do Edney e sua história, voltarei a dar mais uma chance ao O Pintassilgo, de Donna Tartt, já que a história segue o mesmo compasso. Aliás, correr atrás de outros trabalhos do Silvestre é, a partir de agora, lei.

 

Descrição:

Numa pequena cidade da antiga zona do café fluminense, em abril de 1961, dois meninos de 12 anos encontram o corpo de uma linda mulher, que foi morta e mutilada, às margens de um lago onde vão fazer gazeta.

Eles não aceitam a explicação oficial do crime, segundo a qual o culpado seria o marido, o dentista da cidadezinha, motivado por ciúme. Começam uma investigação ajudados por um velho que mora no asilo da cidade, um ex-preso político da ditadura Vargas. Para os meninos, um terrível caminho de amadurecimento e chegada à vida adulta.

Literatura

Ana Miranda e Lira Neto serão agraciados com título e medalha na UFC

ana-mirandaEm reunião realizada na manhã desta segunda-feira (9), o Conselho Universitário (Consuni) da UFC aprovou a concessão do título de Doutor Honoris Causa à escritora cearense Ana Miranda, autora de obras como O Boca do Inferno, com o qual conquistou o Prêmio Jabuti, livro revelação de 1990 incluído na lista dos 100 maiores romances em língua portuguesa do século XX, elaborada pelo jornal “O Globo”, a partir da indicação de escritores, críticos e intelectuais do Brasil e Portugal.

Ana também recebeu o Prêmio Jabuti (2003) na categoria romance com Dias & Dias, livro que foi indicado para o vestibular da UFC. A relatora da proposta foi a Profª Vládia Borges, Diretora do Centro de Humanidades.

Na reunião, o Consuni também aprovou a concessão de Medalha do Mérito Cultural ao jornalista e escritor cearense Lira Neto, considerado um dos maiores biógrafos da literatura nacional.
Lira-Neto
Entre suas obras mais elogiadas estão O Inimigo do Rei: uma biografia de José de Alencar ou a mirabolante aventura de um romancista que colecionava desafetos, azucrinava D. Pedro II e acabou inventando o Brasil, com a qual foi agraciado, em 2007, com o Prêmio Jabuti de Literatura, na categoria melhor biografia do ano.

Lira é autor da trilogia biográfica Getúlio, sobre o ex-presidente Getúlio Vargas; de Maysa: só uma multidão de amores, biografia da cantora Maysa Matarazzo; e Padre Cícero: poder, fé e guerra no sertão, sobre o fundador de Juazeiro do Norte e considerado o maior santo popular do Nordeste. A relatora da proposta de concessão da medalha foi a Pró-Reitora de Extensão, Profª Márcia Machado.

da assessoria UFC